terça-feira, 2 de outubro de 2018

Autocracia à moda do Porto


Autocrata capaz de autorizar coisas como construções e apropriações de terrenos em áreas de domínio público, o presidente da Câmara do Porto está muito provavelmente convencido de que vive ainda em outro tempo. Mandou, por isso, colocar nas caixas do correio de alguns portuenses um aviso indicando que a autarquia iria proceder à criação de mais três mil lugares de estacionamento pagos, maioritariamente em zonas residenciais. A assembleia municipal chumbou, porém, a proposta respectiva, inviabilizando, à partida, a nova semeadura de parcómetros e transformando em lixo os papelinhos coloridos que Rui Moreira mandou imprimir e espalhar pela cidade (à custa do orçamento municipal), incitando os portuenses a desembolsar 40 euros para poderem continuar a estacionar o automóvel à porta de casa.