sexta-feira, 8 de Junho de 2012

Poemas perdidos: manequins




Há-de ter havido festa rija na montra,
orgia na loja de pronto-a-vestir.
Quando, ao amanhecer,
as pessoas chegaram à rua,
os manequins ainda estavam nus,
indecentes,
vestidos com pudor nenhum.
Tinham, nos lábios,
dúplices sorrisos de monalisa.

(circa 2006)